Escombros

O Projeto Minas Rio, considerado o maior projeto mineiro-portuário do mundo, afeta diretamente 32 municípios mineiros e fluminenses. As cidades de Conceição do Mato Dentro- MG, onde o minério é lavrado, e o Açu-RJ, onde está o Porto do Açu, destino final do minério transportado por mineroduto, foram as que mais sofreram impactos sociais decorrentes de desapropriações.

Em 2009, o Governo do Estado do Rio de Janeiro emitiu dois decretos que declararam de interesse público uma área de 7.521 hectares, que deveria ser desapropriada. Esta área está localizada no Açu, V Distrito do município de São João da Barra-RJ, e era ocupada basicamente por agricultores familiares, que por meio dos Decretos 41.916 e 41.998 de 2009 deveriam se retirar de suas terras para dar lugar ao projeto privado de construção do Complexo Industrial de Porto do Açu. Esse projeto, que engloba Minas Rio, previa a construção de duas siderúrgicas, uma cimenteira, duas termelétricas e um polo ferroviário. No entanto, nada disso saiu do papel até o presente momento. De acordo com dados da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, mesmo após 10 anos dos decretos, dos 229 agricultores alvos de ações de desapropriação movidas na 2a Vara da Comarca de São João da Barra pela Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin), menos de 5% receberam o valor total da indenização. Além deles, um grupo de menos de 10% obteve 80% do valor a que têm direito, a Defensoria destaca ainda que além dos 229 processos em trâmite na 2a Vara, há outras tantas em curso no Fórum de São João da Barra João da Barra e elas totalizam 476 processos de desapropriação.

"Escombros" é uma série resultante de uma pesquisa desenvolvida pelo artista que aborda a temática da globalização, da desterritorialização e a violação dos direitos humanos. São retratos de pessoas que foram desapropriadas na região do Açu, sob os escombros de suas próprias casas, 10 anos após os decretos de desapropriação que as retiraram de seu território. Pessoas que nasceram e viveram por várias gerações no mesmo lugar, onde construíram uma relação de afetividade e memória com o local e que tiveram suas histórias e direitos violados. "Escombros" é um retrato das consequências humanas do nosso mundo globalizado, no qual os interesses políticos e econômicos são colocados à frente da vida humana e do meio ambiente. O presente trabalho propõe uma reflexão sobre o nosso mundo contemporâneo. Para onde estamos indo? Seria possível construir uma nova consciência, uma nova filosofia moral, que não seja a dos valores de mercado, mas a da solidariedade e da cidadania? Seria possível uma nova globalização mais humana?